Carlos Coelho exige acção da Comissão Europeia sobre o escândalo Cambridge Analytica

Carlos Coelho questionou hoje a Comissão Europeia sobre o escândalo Cambridge Analytica, depois de notícias que revelaram que milhões de cidadãos europeus viram os seus dados vulnerabilizados pela rede social Facebook. De acordo com a própria rede social, 87 milhões de utilizadores foram afectados, em todo o mundo, incluindo vários Estados-Membros da União Europeia, entre os quais Portugal.

Na pergunta escrita enviada à Comissão Europeia, o Deputado ao Parlamento Europeu questiona o executivo comunitário acerca de eventuais sanções a aplicar pela União Europeia ao Facebook e sobre futuras medidas de protecção de dados dos cidadãos europeus.

Pode consultar a pergunta aqui.

O social-democrata referiu que “desde que esta situação se tornou pública, a sua gravidade tem aumentado. Dos alegados 50 milhões de utilizadores do Facebook com dados violados passámos para 87 milhões, assumidos pela própria rede social. Quando vemos que destes, cerca de um milhão de cem mil utilizadores são britânicos, não podemos ser ingénuos ao ponto de ignorar a sua utilização para o referendo que determinou a saída do Reino Unido da União Europeia. Foi esta informação privilegiada da Cambridge Analytica que lhe permitiu intervir na campanha pelo Brexit e receber centenas de milhares de euros por esse trabalho”. O social-democrata recordou ainda que os dados de 63.080 portugueses foram vulnerabilizados, mas recordou que “a protecção de dados é um direito fundamental assegurado pela Carta dos Direitos Fundamentais e, no caso português, com consagração constitucional expressa. Precisamos saber ao certo quantos utilizadores europeus (e destes, quantos portugueses) foram, de facto, vítimas deste esquema, como vão ser informados e que garantias têm de protecção dos seus dados, daqui para a frente. Exigi esses esclarecimentos à Comissão Europeia, mas também espero que o Facebook preste essas informações ao Parlamento Europeu, como foi convidado a fazer”.